segunda-feira, 19 de junho de 2017

Destruído por incêndio, Mercado de Cajazeiras não tem câmeras de segurança


A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo

Dois pavimentos, 133 boxes, R$ 7 milhões da Prefeitura, câmeras de seguran... não. Câmeras de segurança, não. Inaugurado em novembro de 2015, o mercado municipal de Cajazeiras foi exibido por um bom tempo como grande investimento da gestão do prefeito ACM Neto (DEM), mesmo apesar das reclamações dos permissionários. Pouco mais de um ano depois da abertura, um incêndio destruiu parte do estabelecimento, e agora, a secretaria de Ordem Pública (Semop) corre atrás de quem tenha um circuito interno para saber se o fogo teve origem criminosa.
A informação foi confirmada pelo próprio secretário Marcus Vinicius Passos, que até tentou explicar a falta do equipamento, mas não convenceu. "O mercado não tinha câmeras. A gente tem, tem... A gente vai solicitar. Eu tive a reunião no mercado, para você ter uma ideia, existe uma empresa de instalação de equipamento, que tinha o interesse em ter um boxe e ela iria fazer toda a instalação do mercado como forma de doação", disse.
Ainda segundo o secretário, a "doação" só seria feita depois do São João. "Uma doação de toda essa parte da câmera. Ontem demos uma volta no comércio da região para ver as imagens de câmeras que possam ser entregues para a gente", afirmou em entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta segunda-feira (19). Trocando em miúdos, todo esse tempo, nada que aconteceu no mercado foi registrado.

O Subúrbio é sim um Território do Forró em Salvador


Foto Secom

Do Forró do trem ,saindo da estação da Calçada passando em varias estações do Subúrbio,cheio de animação,as festas juninas nas Paroquias da igreja católica espalhadas nos 22 bairros.Ao já tradicional Forró do Padre,que é na verdade a comemoração do aniversario do padre Oliveira,ao concurso de Quadrilhas Juninas da Bahia, na Praça da Revolução em Periperi,no shows com cantores sertanejo no palco montado no bairro de Paripe organizado pela Bahiatursa ,que movimenta além da economia da região com o deslocamento de pessoas e visitantes.Então não é exagero dizer que o Subúrbio é um território do Forró 

Fotos Verde Trem

A região que tem cerca de mais de 500 mil habitantes, conta com uma beleza natural,parte da mata atlântica,praias clamas, tem ligação com a linha ferroviária com estacões na maioria dos bairros,com uma das principais ,a Avenida de Salvador, a Afrânio Peixoto a Suburbana, ligação c om uma BA 528,e o mar da Baia de Todos os Santos.
Ligação e como chegar é que não falta ,o que é mais estrutura e organização e boa vontade do poder publico em resolver questões do dia a dia.

sábado, 20 de maio de 2017

Ação dos tucanos para anular eleição de Dilma foi “só para encher o saco”, diz Aécio



O senador já afastado pelas denúncias de corrupção da JBS, Aécio Neves (PSDB-MG), moveu ação no Tribunal Superior Eleitorial (TSE) para anular a eleição de Dilma Rousseff por puro revanchismo. Em uma das gravações feitas por Joesley Batista, dono da JBS, o tucano afirma que tomou a atitude “só para encher o saco”.
“Lembra depois da eleição? Os filhas da p… sacanearam tanto a gente, vamos entrar com um negócio aí para encher o saco deles também”, disse o ex-governador de Minas Gerais ao empresário, em um telefonema.
Na mesma gravação, Aécio diz que Temer pediu para que ele recuasse após o impeachment. O senador moveu a ação contra a chapa Dilma/Temer na condição de presidente do PSDB.
“Se eu retirar, não tô nem aí, perco nada, mas o MP assume essa merda”, completou o senador na mesma ligação.
A ação movida apenas “para encher o saco” vai a julgamento no próximo dia 6 no TSE.
*Com informações do Estadão

INVESTIGADORES COGITAM PEDIR IMPEACHMENT DE GILMAR





247 - Portal Jurídico Jota informa que investigadores da Lava Jato avaliam pedir o impeachment do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, depois que ele foi flagrado em uma ligação telefônica com o senador afastado Aécio Neves (PSDB) articulando apoio no Senado para aprovar um projeto de lei que teria objetivo de frear as investigações do esquema de corrupção da Petrobras – o projeto de atualização da Lei de Abuso de Autoridade.
A ligação, interceptada pela Polícia Federal com autorização do ministro Edson Fachin, ocorreu no dia 26 de abril. Nela, Aécio pediu ao ministro Gilmar Mendes que telefonasse para o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) para que ele seguisse a orientação de voto proposta com Aécio no PLS 85/2017. A alternativa seria uma saída, segundo Aécio, para não parecer que a “bancada foi toda contrariada”.
No mesmo dia, o plenário do Senado aprovou o substitutivo do senador Roberto Requião (PMDB-PR) que estabelece as novas penalidades para crimes de abuso de autoridade nos três poderes.
Durante a conversa, o ministro concorda em ligar para Flexa que, segundo Aécio, ajudaria na condução da votação da proposta. Mendes relata ainda que já teria conversado com os senadores Antonio Anastasia (PSDB/MG) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre o assunto. 
Leia o diálogo:
AÉCIO NEVES: Oi, Gilmar. Alô.
GILMAR: Oi, tudo bem?
AÉCIO NEVES: Você sabe um telefone que você poderia dar que me ajudaria na condução lá. Não sei como é a sua relação com ele, mas ponderando.. Enfim, ao final dizendo que me acompanhe lá que era importante.. Era o Flexa, viu?
GILMAR: O Flexa, tá bom. Eu falo com ele.
AÉCIO NEVES: Porque ele é o outro titular da comissão, somos três, sabe?
GILMAR: Tá bom, tá bom. Eu vou falar com ele. Eu falei… eu falei com o Anestasia e falei com o Tasso.. Tasso não é da comissão, mas o Anastasia… o Anastasia disse “Ah tô tentando.. [incompreensível].. E..
AÉCIO NEVES: Dá uma palavrinha com o Flex.. a importância disse e no final dá sinal para ele porque ele não é muito assim… de entender a profundidade da coisa.. Fala ó.. Acompanha a posição do Aécio porque eu acho que é mais sereno. Porque o que a gente pode fazer no limite? Apresenta um destaque para dar uma satisfação para a bancada e vota o texto… que vota antes. Entendeu?
GILMAR: Uhum
AÉCIO NEVES: Destaque é destaque… depois não vai ter voto. entendeu?
GILMAR: Uhum
AÉCIO NEVES: Pelo menos vota o texto e dá uma…
GILMAR: Uhum
AÉCIO NEVES: Uma satisfação para ban.. Para não parecer que a bancada foi toda ela contrariada, entendeu?
GILMAR: Uhum
AÉCIO NEVES: Se pudesse ligar pra Flexa aí e fala…
GILMAR: Eu falo pra com ele.. E falo com ele.. Eu ligo pra ele.. Eu ligo pra ele agora.
AÉCIO NEVES: [incompreensível] importante
GILMAR: Ligo para ele agora.
AÉCIO NEVES: Um abraço.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

MICHEL TEMER EMBOLSOU R$ 1 MILHÃO DA DOAÇÃO QUE RECEBEU




Em delação premiada, o diretor da JBS Ricardo Saud afirmou que Michel Temer, durante a campanha à reeleição em 2014, embolsou R$ 1 milhão de R$ 15 milhões em propina que o PT havia mandado a empresa dar para o então vice-presidente; "Michel Temer fez uma coisa até muito deselegante. Nessa eleição, eu só vi dois caras roubar deles mesmos. Um foi o (Gilberto) Kassab, outro o Temer", disse Saud, em referência também ao ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações de Temer

JUIZ QUE FECHOU INSTITUTO LULA FOI CITADO PELA JBS

247 - O juiz substituto que determinou o fechamento do Instituto Lula, Ricardo Soares Leite, foi citado nas delações da JBS. O advogado brasiliense Willer Tomaz prometeu influências no Ministério Público Federal e também na primeira instância da Justiça Federal em troca de um contrato de R$ 8 milhões com a JBS. Na vara 10a Vara Federal tramitam processos relativos à Operação Greenfield, ligada ao grupo JBS.
A informação foi divulgada em reportagem de Helena Mader e Ana Viriato, do Correio Braziliense.
No entanto, a ligação do advogado com o juiz e com a Procuradoria poderia ser útil para a defesa da Eldorado, uma das empresas da holding JBS. Segundo a delação de Joesley Batista, porém, Willer “deixou claro que não havia propina, apenas amizade e proximidade com o juiz”. Em seguida, Willer providenciou um jantar entre Joesley Batista e o juiz. O contrato previa a remuneração de R$ 4 milhões por honorários iniciais e R$ 4 milhões por êxito, ou seja, o arquivamento do inquérito.
Willer afirmou ao advogado da JBS conhecer um dos procuradores indicados para a Operação Greenfield: Ângelo Goulart Vilella. Semanas depois, a informação seria confirmada oficialmente. Willer prometeu ao procurador uma "ajuda de custo" de R$ 50 mil.

terça-feira, 16 de maio de 2017

MPF diz que Cruz Vermelha na Bahia foi usada para pagamento de propina a Negromonte.



Em ação de improbidade administrativa movida conta o Partido Progressista (PP), o Ministério Público Federal (MPF) afirma que a Cruz Vermelha Brasileira na Bahia foi usada por um esquema da legenda na Petrobras para repassar propina ao ex-ministro, ex-deputado federal e atual conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Mário Negromonte. De acordo com o portal BocãoNews, também consta na ação o deputado federal Roberto Britto.
O MPF alega que a entidade foi utilizada na época em que o empresário e ex-secretário de Transporte e Infraestrutura (Setin) no governo João Henrique, José Mattos (PP), era presidente. O Ministério não diz o valor que teria sido pago por meio da organização, mas afirma que, com base nas delações premiadas, o conselheiro teria recebido R$ 12 milhões da CEEMA - Construções e Meio Ambiente, de propriedade de José da Silva Mattos Neto.
De acordo com a delação do doleiro Alberto Youssef, os esquemas teriam começado em 2006, quando começaram as tratativas de criação da empresa Quattor, associação feita entre a Petrobras e a Unipar, do empresário Frank Geyer Abubakir na época. Ainda segundo Youssef, Negromonte teria recebido R$ 12 milhões e repassado $ 1,2 milhão ao ex-deputado federal José Janene, entre 2007 e 2008.
O MPF alega que a CEEMA, além de outras do mesmo grupo, e a Cruz Vermelha Brasileira na Bahia, cujo presidente era José da Silva Mattos, eram utilizadas para o pagamento da propina. O ministério afirma que em operações de busca e apreensão realizadas em Salvador, foram colhidos diversos elementos que provavam a relação entre Negromonte e Mattos.

Primeiro acusado por feminicídio em Salvador é condenado a mais de 20 anos de prisão



No primeiro julgamento de feminicídio em Salvador, o Tribunal do Júri condenou na última sexta-feira, 12, Rubervaldo Soares dos Santos Júnior a 20 anos, nove meses e 22 dias de prisão, em regime fechado, pelo assassinato de sua companheira Anaildes dos Santos Lacerda, que estava grávida dele. O crime ocorreu no dia 8 de abril de 2015 na Avenida San Martim, Travessa Rocha. Anaildes foi morta a facadas. A denúncia contra Rubervaldo Soares foi oferecida pelo Ministério Público estadual, por meio da promotora de Justiça Ana Rita Nascimento, e sustentada no Júri pelo promotor de Justiça Luciano Assis. A sentença foi proferida pela juíza Gelzi Maria Almeida Souza.
Na sentença, a magistrada determinou 17 anos, nove meses e 22 dias, pelo assassinato de Anaildes, considerando a qualificadora do feminicídio, quando o crime contra a vida é praticado “contra mulher por razões da condição de sexo feminino”, segundo inciso VI do artigo 121 do Código Penal. Pelo crime de aborto, o réu foi apenado em mais três anos. A magistrada afirmou que uma “única ação se desdobrou na execução de dois crimes diversos”, o que fundamentou a aplicação cumulativa das penas.

Público tem mais duas semanas para ver exposição Trabalhadores, no MPT




A exposição “Trabalhadores” vai ficar mais duas semanas em cartaz no Memorial do Trabalhador, na Avenida Sete de Setembro, 2563, Corredor da Vitória, em Salvador.
O espaço é mantido pelo Ministério Público do Trabalho com a vocação de reunir arte e cultura sobre o tema relações de trabalho. Além das 24 fotografias que mostram a realidade a que estão expostos homens, mulheres, idosos e crianças de diversos setores produtivos. As fotografias ficam expostas até 19 de maio, de segunda a sexta, das 12h às 15h30. Visitas programadas podem ser agendadas pelo telefone 33243400.
Com entrada gratuita, a exposição traz imagens de Geyson Magno, André Esquivel e Walter Firmo, que foram publicadas nos livros “Trabalho” e “O Verso dos Trabalhadores” pelo MPT. Além da exposição Trabalhadores, o visitante poderá conhecer o acervo de 14 obras de arte cedidas temporariamente pelo Museu de Arte Moderna e as peças que integram o acervo do Memorial do Trabalhador do MPT na Bahia. Elas contam a história e explicam a forma de atuação do órgão.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Conselheiros tutelares de Salvador e discute demandas da categoria na PGJ



A procuradora-geral de Justiça Ediene Lousado recebeu na tarde de hoje, dia 12, na sede do Ministério Público estadual no CAB, conselheiros tutelares de Salvador para ouvir as demandas da categoria e buscar soluções junto ao Município. Na reunião, os conselheiros falaram sobre a necessidade de melhorias na infraestrutura dos Conselhos Tutelares e sobre questões salariais, especialmente sobre a previsão orçamentária para garantia de pagamento de gratificação em relação ao trabalho durante o Carnaval.
“A parceria entre o MP e os Conselhos é antiga e permanente, e não há razão para que não seja fortalecida. Participamos efetivamente da instalação de todas as unidades na Bahia. É nosso dever constitucional e institucional. Estamos com olhar especial sobre estas demandas materiais que vocês estão trazendo hoje. O MP vai levá-las ao chefe do Poder Executivo Municipal”, afirmou a PGJ. Lousado também afirmou aos conselheiros que ela mesma está tratando junto ao Município da questão da gratificação do Carnaval.
Participaram da reunião a procuradora-geral de Justiça Adjunta, Sara Mandra Rusciolelli; os coordenadores do Centro de Apoio Operacional de Defesa da Educação (Ceduc) e do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção à Moralidade Administrativa (Caopam), promotores de Justiça Valmiro Macedo e Luciano Taques; a promotora de Justiça da Infância e Juventude Karine Espinheira; e os conselheiros tutelares Renildo Barbosa, Carlos Agostinho, Antoniza Vale e Saray Freitas.